quinta-feira, 20 de abril de 2017

ESTAÇÃO FERREIRA - Reunião do Grupo (20/04/2017)

REUNIÃO DO MOVIMENTO PELA
RESTAURAÇÃO DA ESTAÇÃO FERREIRA

Dia 19 de maio de 2017, 17h30m, na
Casa de Cultura Paulo Salzano Vieira da Cunha




O Coordenador Arq Osni Schroeder relatou os seguintes assuntos:

1. Demora na finalização do processo de licitação, pelo Município de Cachoeira do Sul, que orçou madeiras e telhas para a recuperação parcial do telhado principal da antiga Estação Ferreira - tombada pelo COMPAHC. A verba havia sido garantida por devolução de sobras orçamentarias da Câmara Municipal de Vereadores, ainda em 2016.

2. 3º Batalhão de Engenharia confirma a destinação de mão de obra especializada para execução do telhado principal da antiga Estação Ferreira. Agora se espera, somente, pelos materiais licitados para que se inicie esta primeira etapa do projeto.

3. Invasões na área tombada da estação: na última semana, foram identificadas duas tentativas de ocupação ilegal de terrenos, na área tombada da Estação Ferreira, e posteriormente os espaços invadidos foram reincorporados ao patrimônio municipal da cidade, por iniciativa do Coordenador do Movimento. 





4. Na reunião de ontem foram revisados vários itens em desenvolvimento na ação de preparar e anexar a documentação necessária ao projeto de restauro, para que se possa pleitear financiamentos junto aos órgãos de incentivo à cultura. O grupo técnico de voluntários, que desenvolve gratuitamente estes projetos, se reunirá na próxima semana. O parceiro Arquiteto Thiago Cazarotto sugeriu o cadastramento da AMICUS, junto ao órgão competente do Governo Federal, para habilitação às muitas verbas da União.



5. Também foi relatado pela parceira Ione Sanmartin Carlos, a participação em evento promovido pelo 3º Batalhão de Engenharia, que constou de palestra do arquiteto Vitor Mori, superintendente do IPHAN em São Paulo, sobre a história de fortificações militares no Brasil. 

Fotos: Renato Thomsen     Texto: Osni Schroeder

IMPRENSA


           O Jornal do Povo, edição de 25 de abril de 2017, publicou coluna do Arquiteto Osni Schroeder sobre os significados da restauração de monumentos históricos tombados como patrimônio. Link abaixo:



quinta-feira, 13 de abril de 2017

MUSEU MUNICIPAL - Começa a mudança para o Paço (13/04/2017)

               O jornal digital O Correio e o Jornal do Povo (impresso e digital) publicaram release da Comunicação Social da Prefeitura Municipal de Cachoeira do Sul, informando que começou ontem a mudança do acervo do Museu Patrono Dr. Edyr Lima para as dependências do recém restaurado prédio do antigo Paço Municipal:


Jornal digital O Correio


Jornal do Povo





Fotos: Renato Thomsen e Assessoria da Prefeitura Municipal

quarta-feira, 12 de abril de 2017

ESTAÇÃO FERREIRA - Invasão no entorno (12/04/2017)

  TENTATIVA DE OCUPAÇÃO ILEGAL NA ÁREA DA ESTAÇÃO


        Às vésperas do início do cercamento e da recuperação do telhado principal da Estação Ferreira pelo 3º BECmb, tivemos a notícia de um princípio de invasão da área pública - no entorno da antiga edificação tombada por iniciativa do COMPAHC.



          Alguns moirões e estacas foram colocados nas proximidades do prédio histórico, para delimitar um futuro "terreno" que seria utilizado para mais uma construção irregular na propriedade da Prefeitura Municipal de Cachoeira do Sul (fotos abaixo):



        Na terça feira, dia 11 de abril de 2017, o Coordenador do Movimento Pela Restauração da Estação Ferreira, Arq Osni Schroeder, recebeu informação de sinais de invasão na área pública do entorno do prédio tombado como Patrimônio Histórico.


           No mesmo dia 11 o Coordenador vistoriou o local quando então constatou a veracidade da informação.

           Imediatamente fez contato com o presidente da Associação dos Moradores da Ferreira, senhor Vilson que confirmou que conhecia a "doação" do terreno não sabendo informar com precisão quem teria a autorizado.

          O Coordenador Osni Schroeder registrou naquele dia um Boletim de Ocorrência Policial, informando a tentativa de invasão da área pública para fins de registro. 


             Osni Schroeder é também presidente da Associação Cachoeirense de Amigos da Cultura, AMICUS, que é a entidade que formalizou convênio com o Município de Cachoeira do Sul no sentido de estabelecerem mútuas ações que visassem a recuperação e restauração da antiga estação ferroviária da Ferreira.

           No artigo 3, inciso III do referido convênio, é obrigação da AMICUS informar ao Município sobre qualquer situação de esbulho possessório na área titulada do terreno.

          Na manhã de hoje, 12 de abril, foi entregue formalmente à Procuradoria Jurídica do Município um oficio da AMICUS, informando a tentativa de invasão acontecida, a cópia do boletim de ocorrência policial e a solicitação de providencias.

          O COMPAHC, por seus membros em grupo específico, também foi notificado da ocorrência - o que será formalizado ao Conselho posteriormente.

         No momento aguarda-se as providências que o Município de Cachoeira do Sul implantará no resguardo de um bem cultural tombado e protegido por Lei.



DILEMA

          A tragédia social, a nível nacional, da falta de habitação para famílias de baixa renda é algo que ninguém tem o direito de ignorar. É uma chaga social que fica pior a cada dia, sem que o poder público adote programas organizados de reassentamentos urbanos para pessoas com dificuldades econômicas.

        A falta destes programas específicos cria esta tensão, de tentativas de soluções pontuais, que adia e não soluciona substancialmente o deficit de habitações, mas lesa um patrimônio cultural e histórico que é de todos, posto que é tombado por lei.

       Esperamos que o nosso Município resolva o problema da família que ali pensou em se instalar, mas em outras áreas públicas existentes pelo Município, que não aquela tombada com patrimônio cultural.

       Melhor seria se pudessem ser projetados e implantados programas de reassentamentos urbanos planejados especificamente para a população de baixa renda, previstos e financiados por programas sociais do governo federal.



       A AMICUS e o Núcleo de Engenharia Arquitetura e Agronomia de Cachoeira do Sul colocam-se a disposição do Município para estudar a viabilização destes assentamentos urbanos.

Fotos: Renato Thomsen    Texto: Osni Schroeder

sábado, 8 de abril de 2017

PAÇO MUNICIPAL - UFSM visita prédios históricos (08/04/2017)

            Professores e alunos do Curso de Arquitetura da Universidade Federal de Santa Maria (Campus Stª Maria/RS) conheceram na manhã de hoje o monumento Château d'Eau e a edificação histórica do Paço Municipal.

             A visita foi guiada pelos arquitetos Elizabeth Thomsen e Osni Schroeder, coordenadores do Movimento pela restauração, pelo voluntário Arquiteto Thiago Cazarotto e pela Presidente do COMPAHC, Ione Sanmartin Carlos.



VISTA DA SACADA

          Os alunos da disciplina de restauro da UFSM, campus Santa Maria/RS, ampliaram seus horizontes técnicos vendo da sacada do Paço Municipal (agora Museu e Arquivo Histórico), o Château d'Eau , a Catedral NªSª da Conceição e a Praça Balthazar de Bem - que formam o belíssimo conjunto arquitetônico/urbanístico Centro Histórico de Cachoeira do Sul.


CORREDOR DA ANTIGA CADEIA
            O amplo corredor central da antiga cadeia pública chamou a atenção de todos os futuros restauradores pela imponência grave do seu arco, mantido na carga sentimental do projeto de restauro do Arquiteto Júlio Ramos, especialista na área.

GRAFITTI, REVESTIMENTOS E GRADE CENTENÁRIOS
         Em uma única dependência da edificação do Paço Municipal, foram mostrados aos alunos da UFSM o tipo de revestimento original de forros e pintura à base de cal. Neles se destacam a presença humana de prováveis detentos, na arte de grafittis.
         
        O destaque maior fica para a grade de ferro de uma janela, que era a única comunicação direta com o mundo externo, tendo ficado por aproximadamente 100 anos escondida entre duas paredes (foto acima).


ARQUITETA ELIZABETH FALA SOBRE A CADEIA
        A Arquiteta Elizabeth Thomsen, coordenadora do movimento de voluntários que trabalhou pelo restauro, explicou detalhes técnicos de piso, revestimentos, instalações elétrica e de rede lógica na área recuperada da antiga cadeia pública.


RESTAURO DE ESQUADRIAS
            Aos alunos santa-marienses foi relatado o minucioso levantamento cadastral/fotográfico, prévio ao projeto de restauro, onde foram identificadas uma a uma as esquadrias externas, relatando detalhes como: tipo, ferragens, originalidade, estado de conservação e outros. 
Todas esquadrias em condições de restauro foram restauradas. 


REGISTRO NA ESCADA
         Uma pausa na visita dos estudantes e professores da Universidade Federal de Santa Maria, na escada ao segundo pavimento para documentar o momento, junto aos voluntários pelo restauro.



LINEARIDADE E ARCOS
           Do alto da foto destaca-se a harmonia da linearidade arquitetônica com o voo controlado dos arcos restaurados.


JUNTO À TAIPA-DE-MÃO
         A parede original de taipa-de-mão, no pavimento superior, foi objeto de atenção quanto ao seu antigo sistema construtivo e as alternativas utilizadas para sua restauração. Tudo isto motivou o registro de uma foto do grupo junto a este destaque arquitetônico da edificação.


NO TERRAÇO
          No terraço (fundos do pavimento superior) a oportunidade única de sintetizar numa imagem: o Paço, o Netuno e a Virgem Maria na Catedral ao fundo, todos juntos.  
          Do terraço foram destacadas também as vistas externas, que eram utilizadas na época da construção como ponto de observação à presença de inimigos castelhanos, ou também nas inúmeras revoluções que aconteceram nesta terra àquela época.


INSPEÇÃO E ESTUDO DO PROJETO
        No salão inferior foi apresentado, pela coordenadora Elizabeth Thomsen, um relatório fotográfico mostrando a cronologia da história da Casa de Camara, Jury e Cadea até o Paço Municipal, ao longo do tempo.
        

LIÇÕES NO PAÇO
         Também foi apresentado o projeto de restauro, elaborado pelo Arquiteto Julio Ramos, que foi objeto de várias observações positivas pelos professores Arq. Caryl Lopes e Arq. Marina de Alcântara, sendo aquele momento praticamente uma extensão da sala de aula - pelos questionamentos e explicações didáticas aos discentes do Curso de Arquitetura.
Fotos: Renato Thomsen    Texto: Osni Schroeder



CENTRO HISTÓRICO VISTO DE CIMA
Foto: Eduardo Schroeder

         "Nos últimos anos da minha vida e a dos voluntários pela restauração de nossos bens históricos um dos objetivos foi expandir para todos o conceito de preservá-los sempre.
        
          E Cachoeira mostra que gosta, agora acho que mais, de edificações que antes não eram vistas mais do que umas "casas velhas".  - Isto nos gratifica!  

        Particularmente sinto-me gratificado em casa, porque na minha família também houve um olhar mais atento para a preservação. 

       Meu filho Eduardo, por força da sua atividade profissional de piloto agrícola, não perde oportunidade de fotografar imagens que ele identifica do alto como importantes do ponto de vista de preservação ambiental e arquitetônica.

      A Ponte de Pedra, durante e após sucessivas enchentes é fotografada por ele e divulgada nos nossos meios de comunicação interna. 

      O nosso rio jacuí, o que restou da antiga ponte na localidade de Jacuí/RS, por exemplo, antecederam uma sensacional vista do alto, do nosso Centro Histórico, onde estiveram perfeitamente retratados a imponência do Château d'Eau, a beleza sóbria da Catedral e presença institucional do Paço Municipal, além da verdejante Praça Balthazar de Bem (foto acima).

       Um dia o Eduardo fotografou de cima a Fazenda da Tafona, um bem arquitetônico protegido em âmbito municipal e estadual. Quando ele soube do cultivo orgânico de alimentos naquela propriedade, solicitou a localização geo-referenciada do local para inseri-la no banco de dados de todas as empresas de aviação agrícola locais, garantindo assim os procedimentos especiais de segurança para atuação no entorno.

       Agradeço ao Renato Thomsen, editor deste nosso blog, a publicação de todas estas fotos.

       Beijo no Eduardo, pela sensibilidade e o apoio de sempre em assuntos do pai."   

Arq Osni Schroeder

sexta-feira, 31 de março de 2017

PAÇO MUNICIPAL - Arquitetos visitam Paço restaurado (31/03/2017)

              Na tarde de 30 de março de 2017, arquitetos integrantes do CAU/Cachoeira do Sul fizeram uma visitação guiada pelos coordenadores do restauro, Arq Elizabeth Thomsen e Arq Osni Schroeder, às dependências da edificação histórica do Paço Municipal - cujas obras de restauração finalizaram na semana passada.



Grupo de arquitetos ao final da visita guiada,
 para conhecer o Paço Municipal restaurado.



         A porta principal da edificação do Paço Municipal se abre para os profissionais cachoeirenses que projetam o futuro da nossa cidade. Certamente conhecer uma edificação que a cidade conseguiu trazer do passado ajudará muito para que construam o futuro de Cachoeira do Sul.

             A Coordenadora, Arquiteta Elizabeth Thomsen, reuniu fotos do Paço Municipal e do Centro Histórico que foram apresentadas e discutidas com o grupo visitante.


         O Château d'Eau e a Catedral pareciam curiosos, espiando pela porta aberta, para ver o que acontecia no Paço Municipal.


         Os teatros que o centro histórico teve e foram perdidos, foram objeto de atenção dos visitantes, através das imagens resgatadas pelo Arquivo Histórico.

         A dinâmica da visitação dos arquitetos foi a de relatar a situação original encontrada e as intervenções necessárias de restauro que foram efetivadas.



           A imagem acima fala muito mais da beleza do momento, do que eventuais palavras ditas.






Gabinete do Intendente
           Foi informado aos visitantes que o Gabinete do intendente, de 1921, vai ser quase que totalmente recomposto com os móveis originais no local.  Isto se deve ao trabalho silencioso de servidoras municipais, que pressentindo o descarte de materiais e adornos antigos recolheram-nos ao Museu Edyr Lima, conservaram-nos e agora vão traze-los de volta para a edificação com a transferência do museu para o Paço Municipal.

             O arquiteto Augusto Cesar Mandagaran de Lima (na sala da esquina do Paço Municipal) contou que seu avô, Augusto Cesar de Lima - tesoureiro da prefeitura no passado - ficou de plantão junto ao cofre público, naquela sala, para que revolucionários não levassem o dinheiro do município. Contou também que um atirador, provavelmente da torre da igreja Matriz, atirou numa menina que lhe levava comida para o plantão forçado.

          - Histórias verídicas do Paço Municipal, que só agora aparecem...


          A Engenheira Martha Gaspary (foto acima), do grupo de visitantes da tarde, contou algumas das suas experiências na atividade profissional, quando aquela edificação ainda era uma movimentada repartição pública.


Sem palavras...


          Todos os visitantes ficaram vivamente impressionados com a beleza do salão superior do Paço, especialmente alguns que conviveram naquele espaço em tempos passados.

        O arquiteto Osni Schroeder, indicou e falou sucintamente sobre a técnica construtiva da parede de taipa-de-mão (divisória interna do pavimento superior).





               Augusto de Lima e Eduardo de Carvalho conferindo o terraço, que cobre a área da antiga cadeia, nos fundos do piso superior.


              Segunda versão da foto que "viralizou" na internet, num flagrante de uma possível conversação entre Netuno e a Virgem, registrada agora em um momento de final de tarde. Trabalho do fotógrafo Renato Thomsen.

           A visita à antiga cadeia impressionou a todos. Na sala em que foi mantida abóbada do teto na sua condição mais antiga de revestimentos, tinta e grafittis também foi apresentada a grade da janela de uma das celas que sobreviveu durante quase 100 anos entre duas paredes e voltou agora para marcar sua presença (foto abaixo).


Desenho no forro de uma cela da antiga cadeia
         Juarez Tavora foi um militar nordestino que gostava de política. Teve participação importante na revolução tenentista de 1924, que tinha um parente seu no Batalhão de Cachoeira, também Távora. Participou da Marcha pela Liberdade de Luiz Carlos Prestes e da revolução de 1930 ao lado de Getúlio Vargas. 
        Quem saberia qual a relação política de um eventual preso na cadeia publica de Cachoeira, com esta figura importante da República?.


Entrada da antiga cadeia
              Hoje imponente e iluminada, a entrada da antiga e aterradora cadeia pública.


           No final da visita todos sentiram-se alegres pelo bem restaurado e recuperado no amor da cidade... 


          Que ventos bons embalem os líderes desta cidade, para assim levá-la ao lugar glorioso que merece!




Registro do final da visita, já no entardecer.
Fotos: Renato Thomsen   Texto: Osni Schroeder

            Certamente este foi um momento de troca de emoções e também de conhecimentos, sentimentos observados e talvez até incentivados pelas energias que ficaram nas paredes, forros, escadas e portas do antigo casarão da Rua XV.