domingo, 6 de agosto de 2017

MUSEU MUNICIPAL - Patrono Edyr Lima (06/08/2017)

              A antiga edificação do restaurado Paço Municipal, a partir da última quinta-feira dia 03 de agosto de 2017, passou a chamar-se Museu Municipal de Cachoeira do Sul - Patrono Edyr Lima.






































IMPRENSA

TV NTSul - Vídeo 04 de agosto de 2017



Jornal do Povo - 05 e 06 de agosto de 2017


Jornal digital O Correio - 04 de agosto de 2017

terça-feira, 1 de agosto de 2017

PAÇO MUNICIPAL - Do Restauro ao Museu (1º/08/2017)

EU, NÓS E O PAÇO



Lá atrás, eu via o Paço como uma coisa velha, desmanchando-se fedorento entre formigas e umidades! Uma coisa capenga por cupins, morcegos e goteiras! Podre nas suas madeiras, pálido nas suas tintas, violado nas suas janelas, invadido nas suas portas, molhado no seu telhado.
Olhava o Paço até com pena, como se fosse alguém qualquer necessitando ajuda, prendendo-me muito mais ao seu cheiro de morte, do que ao algo de nobreza que poderia ter.
Naqueles tempos talvez ele tenha me achado arrogante, sem paciência, sem muita esperança! Talvez tenha até pensado que eu nunca tivesse lido Fernando Pessoa, falando sobre almas e o que vale a pena!


Aí, aconteceu que juntamos parceiros de outras lutas e resolvemos ajudá-lo! No que desse!  Não sabíamos que na verdade estávamos ajudando-nos a nós mesmos!
A magia do Paço foi nos tocando, mansamente, conquistando nossos corações.
A cada tinta raspada, reboco restaurado, a cada estranho anexo subtraído, a cada telha arrumada, moldava-se o despertar de um espírito gigante encravado naquele prédio.
Foi fantástico descobrir nele símbolos que sempre estiveram ali e não víamos, transportando-nos do nosso imaginário de ruínas escuras para o palácio perfumado dos nossos melhores sonhos. Sua verdade apareceu!
Talvez envergonhados pelos sentimentos iniciais, procuramos lavar este pecado, atirando-nos com afinco no objetivo do restauro da edificação.  A dedicação compensou o descaso inicial, ao ponto de confundirmo-nos por tempos, pensando que o prédio era somente nosso.
Passou o tempo, e ele voltou para a vida de uma forma tão intensa, que projetamo-lo como participante do nosso futuro, de uma maneira ou outra. Não viveríamos mais sem ele!
Até que um dia, despertamos para a realidade da obra concluída! E aí, sentimo-nos um pouco perdidos! Havíamo-nos acostumado a cuidar dele, e talvez, sem que soubéssemos, ele a cuidar de nós!
Então em meio a emoções conflitantes, assistimos à chegada dos novos ocupantes do prédio, como naturalmente tinha de ser! Eles chegaram de mansinho e logo o moldaram para a sua nova vida de Museu!
Voluntários de uma restauração concluída, restou-nos ir embora! 
O Paço não precisava mais de nós!


Hoje a doída saudade dele é compensada quando o vejo, ainda que de longe.
Num sentimento meio louco, me parece que ele sorri e me acena, convidando para entrar um pouco!
Desconfio que sentimos a mesma saudade!


                                                                                    Arq. Osni Schroeder






Inauguração nesta quinta-feira,
 dia 03 de agosto de 2017,
às 19 horas




Coluna no Jornal do Povo - 1º de agosto de 2017




quarta-feira, 26 de julho de 2017

PAÇO MUNICIPAL - Sindilojas homenageia Movimento

            O Movimento Pela Restauração do Paço Municipal foi homenageado pelo Sindilojas de Cachoeira do Sul, na edição do XX Troféu Mercador, como destaque em participação comunitária pelo seu papel de protagonista na restauração do antigo Paço Municipal.

Foto:  J.E. MídiaVisual

           O destaque foi concedido à pessoa da Coordenadora Geral do Movimento, Arquiteta Elizabeth Thomsen, a líder que orientou para o sucesso do empreendimento um grande número de parceiros voluntários, a imprensa e a comunidade cachoeirense (incluído o 3º BE Comb).

Foto:  Renato Thomsen

          A distinção do Sindilojas ao grupo de parceiros comunitários (simbolizado pela Coordenadora), onde se somam e se “confundem” voluntários de outros movimentos sem fins lucrativos, como o que recuperou a Ponte de Pedra, trabalhou para a instalação do atual Museu Municipal, que está restaurando a Estação Ferreira, além de integrantes do COMPAHC e do Arquivo Histórico, reveste-se de uma particularidade que emociona a todos os participantes pelo justo reconhecimento de anos de luta em prol do Patrimônio Histórico de Cachoeira do Sul.

          No mesmo local do evento, há bem pouco tempo atrás, houve uma reunião de alguns setores do comércio cachoeirense que tinha como tônica qualificar como "prejuízo comunitário" a preservação de "casas velhas" - como foram chamadas as edificações históricas e de valor cultural que ainda resistem ao tempo e ao abandono dos proprietários.

         Graças à convicção de todos parceiros voluntários, manteve-se acesa a chama de restauração dos nossos bens culturais. E sem agressões, sem medos, mas com a energia dos que acreditam no que fazem, continuaram silenciosamente sua ação de mudar este "conceito" que colocava em risco nosso Patrimônio Histórico-Cultural.

         Hoje, pelo reconhecimento de lideranças da cidade, recebe-se um troféu que significa apoio ao nosso trabalho comunitário e, certamente, mais proteção ao nosso patrimônio.


         A noite de festa foi coroada, também, pela informalidade de uma reunião com o Diretor Financeiro e de Relações com Investidores da CORSAN, Sr. Jorge Luiz Costa Melo, que manifestou-se preliminarmente positivo ao pleito dos parceiros voluntários presentes - no sentido de que a CORSAN também invista no restauro do Reservatório R2,  localizado na Praça Borges de Medeiros. A solicitação foi formalizada por oficio encaminhado neste sentido e assinado pela Presidente do COMPAHC, Ione Sanmartin Carlos.

Foto:  Renato Thomsen

        Nesta data recebemos do Sindilojas um reconhecimento pelo nosso trabalho comunitário que, muito mais do que se tornar num sentimento de dever cumprido, nos responsabiliza pela abertura de novos caminhos para a consolidação do nosso Patrimônio Histórico-Cultural, como a antiga Estação da Ferreira, o futuro Museu de Arte Sacra de Cachoeira do Sul e agora o restauro do Reservatório R2 da CORSAN.


Foto:  Renato Thomsen



Obrigado Sindilojas,

Pela distinção que vale muito para nós e para o
Patrimônio Histórico-Cultural de Cachoeira do Sul.




Texto: Arq. Osni Schroeder




Imprensa

O Jornal do Povo, edição de 15 de julho de 2017,
noticiou a entrega dos troféus do Sindilojas - Link abaixo:

LINK:  Clique aqui, para acessar a Página JORNAIS


segunda-feira, 3 de julho de 2017

CENTRO HISTÓRICO - A Catedral das Nossas Senhoras na RBS TV

          A antiga Igreja Matriz da Nossa Senhora da Conceição, agora Catedral Diocesana de Cachoeira do Sul, carrega uma particularidade interessante na imagem de Maria, colocada no topo do seu frontão de fachada, entre as duas torres. 



          A representação da Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade e da Paróquia, colocada no frontão da Igreja na reforma de 1929, está mais para a representação de Maria, atribuída à Nossa Senhora das Graças, devido às suas características iconográficas. 

          Muitos do nosso grupo de voluntários pela preservação do patrimônio histórico colocaram como meta pesquisar o que aconteceu, lá na longínqua década de 20 do século passado. A imagem veio trocada - era muito difícil mandar de volta e esperar a de representação correta? Ou a imagem já foi encomendada como está, de braços abertos como a abençoar a praça Balthazar de Bem e a cidade abaixo?

       Estamos pesquisando, sem muita pressa, porque vale mais a devoção da comunidade católica à Nossa Senhora da Conceição. A particularidade da troca das imagens das Santas se reserva àquelas coisas pitorescas que muito mais trazem energias positivas do que fazem mal. 


Antiga
Atual
        



















Toda de branco ou com a cor do céu


          As duas fotos revelam a Nossa Senhora da Conceição em branco e com manto azul e outras cores representativas. 

          A aceitação da Santa pela comunidade católica cachoeirense, pintada com as cores, foi praticamente total - revelando portanto uma decisão acertada.
     

Trabalhos a toque de caixa


             O frontão central e a representação da Nossa Senhora da Conceição já estão restaurados e pintados. 


          A torre norte (à direita na foto acima) igualmente está pronta. A contratação de um guindaste que alcança os 42 metros de altura, do piso às pontas das duas cruzes nas torres, viabilizou a pintura do "chapéu da torre" com rapidez e segurança para os trabalhadores.


         Em fase de execução e ainda por terminar, restam: o "chapéu" da torre sul  (à esquerda) o fundo base e a pintura nas alvenarias que já tiveram seus revestimentos restaurados ou reconstruídos.


       A parte interna do campanário (que não tem sino) da torre sul ainda vai ter restaurado o seu revestimento nas paredes, assim como seus adereços originais.



Detalhes

          Nos detalhes abaixo, a ação coordenada dos trabalhadores contratados pela Igreja para a pintura. O atendimento à NR 15 do Ministério do Trabalho e Emprego (Normas Técnicas de Segurança no Trabalho) é rigoroso e cumprido integralmente.


          A dedicação amorosa a todos os detalhes nesta obra é uma particularidade ainda a ser estudada e explicada...




RBS - TV confere


         No sábado passado a filial da RBS TV - Santa Cruz do Sul/RS esteve em Cachoeira do Sul, para saber mais sobre a nomenclatura e a representatividade relativas às imagens das Santas no frontão da Catedral Diocesana. 


       A jornalista Nádia Strate foi recepcionada pelo Padre Hélvio e por integrantes voluntários pelo patrimônio, como a Profª Mirian Ritzel, Arq. Elizabeth Thomsen e Arq.Osni Schroeder.









       O parceiro Renato Thomsen gravou as imagens aéreas (abaixo) que serão apresentadas na reportagem veiculada no Jornal do Almoço, de 04 de julho para todo o estado do RS. 








Fotos e Vídeos aéreos: Renato Thomsen     Texto: Osni Schroeder



Videos

Reportagem de 4min. na RBS TV - Jornal do Almoço 04/07/2017

Teaser de 1m.30s. para a RBS TV